1 May 2016

Yet another lake house


I came to know this dreamy finnish lake house through Mariannan, whose blog I follow, when she shared a girl's trip to one of her friends summer house - somewhere in 2014.
This house was love at first sight (and still is!) and maybe because Spring has finally sprung, my thoughts gravitate all around moments like these perfectly captured in the photos below. :)






















Photos: Marianna, Alexa and Anna Sofia

26 April 2016

Never miss a sunset

That's my religion :)


17 March 2016

Mais do mesmo, só se for disto...

Há muitos anos que sou fiel às minhas caminhadas. São a minha terapia e estes continuam a ser os caminhos mais trilhados. São a minha fonte de paz principal e agora que tenho passado algum tempo num lugar igualmente bonito/isolado/tranquilo, percebo que é uma paz que não encontro em mais lado nenhum, nem de beleza equiparável nem de beleza maior, e a explicação é relativamente simples: por este ser tão somente a minha 'casa'. A noite não me assusta aqui, o silêncio nocturno não me assusta, os vultos que vejo ao longe em caminhos não iluminados não me assustam... Conheço-lhe os sons e as luzes e as pessoas.
Tão importante que chego a pensar que só me poderei mudar, um dia que vá viver para outro sítio, para um que seja igualmente 'caminhável'. Tenho vindo a pensar nisso bem a sério e acredito que seja facilmente um factor tão importante como tudo aquilo que me fizer Ir.

 "All truly great thoughts are conceived by walking."

Friedrich Nietzsche





Mais deste meu lugar aqui, aqui e aqui.

7 March 2016

Auto-reconhecimento

E a Luísa? Quem é a Luísa?...

Isto do quem somos depende tanto da fase da vida em que estamos … 
(...)
Sempre vivi mais no futuro do que no presente. Traço uma meta e luto por ela. A vida ensinou-me que se quero atingir um objetivo o tenho que fazer por mim. Tornou-me mais dura, é verdade, mas sei que se não fosse assim não tinha conseguido chegar aqui. 
Sou principalmente criativa, muito mais emocional do que racional. Sou muito atenta aos pormenores. Tenho mau feitio, dizem… eu acho que sou exigente. Comigo e com os outros. Tenho um redemoinho sempre dentro da cabeça, as ideais brotam como pipocas a estalar, o que faz com que se queixem de que mudo de ideias muitas vezes. Eu não mudo de ideias assim tão depressa, as coisas é que demoram muito tempo a acontecer!
Claro que hoje sou um concentrado de tudo o que a vida me deu e do que eu dei à vida. 
(...)
Entretanto correu a vida, fui tirando daqui e dali, melhorei numas coisas, piorei noutras. Cheguei a conclusões que me fizeram mudar rumos e modos de estar. 
Olhando assim de cima, o que me resume é que fiz sempre questão de ser parte ativa da minha vida. 
Uma coisa que é certa é que a vida me deu muito mais do que eu lhe dei a ela. Nunca peço nada porque acho que a vida só não dá se não puder.

3 March 2016

2 March 2016

Beijemo-nos bem devagar, que a vida passa pelos dedos. Abracemo-nos sem pensar, que ela passa e não olha para trás. O que se perde mais facilmente neste mundo, não é a cabeça, o dinheiro ou as canetas, é o tempo.

Lorina Ventura

13 February 2016

Trust your guts


You don’t need anyone’s affection or approval in order to be good enough. When someone rejects or abandons or judges you, it isn’t actually about you. It’s about them and their own insecurities, limitations, and needs, and you don’t have to internalize that. Your worth isn’t contingent upon other people’s acceptance of you — it’s something inherent. You exist, and therefore, you matter. You’re allowed to voice your thoughts and feelings. You’re allowed to assert your needs and take up space. You’re allowed to hold onto the truth that who you are is exactly enough. And you’re allowed to remove anyone from your life who makes you feel otherwise.

Daniell Koepke

10 February 2016

Open letter to my love

For you... Who deserve all my love and confidence. Your chest is indeed my new home, the pillow I rest more gracefully. The only place I'd rather be (everyday!) and you know I've always been this girl who wants to be somewhere else...
We're no perfect, but you're one of the most beautiful human beings I had the pleasure to meet, if not the most beautiful soul indeed, and I feel extremely lucky that you fell in love with me. Also, never in my life I had someone caring for me like you do, so I want to thank you for that. I'm spoiled.
When we first met, I had hard times believing there could be someone out there like you for me and I didn't always thought I deserved you (I mean, I've always been a self-loved person, but you were just too good for me, you know?) and my soul was a very dark place to live. I was afraid I'd be the first person showing you the dark side of a human nature, with all my selfishness and my, back then, inability to live a shared life, but I now realise I was easy and happily influenced by your beauty, not the reverse. :) Darkness behind, sooner than I realised, there I was, body and soul wide open for you, looking ahead again, never looking back.
I know my flaws throughout this year together and there are obviously things I wish I could have done differently, nevertheless it's been a beautiful journey with you (full of extreme ups and extreme downs!) and here we are, no matter what.


4 February 2016

Porto e Tempo

Foi em 2013 que eu considerei a palavra Tempo a minha maior aprendizagem. Por razões muito específicas, tão tristes quanto felizes, mas a noção de tempo, o que cura tudo, acalma, o que ensina a aproveitar, foi a mais importante e a que marcou uma altura da minha vida.
Agora, em 2016, depois de um ano francamente fraco, foi altura de incluir nas minhas resoluções uma espécie de chamamento ao que me faz feliz. Dentro do lema "do more of what makes you happy".
Começando precisamente com uma visita vivida e aleatória, como nos velhos tempos, ao Porto, movida urbana. Ir assim, sozinha, como nos velhos tempos. Com a "desculpa" das galerias da Miguel Bombarda abertas. Onde, eis senão, o "Tempo" marcado à minha frente, em dois detalhes entre os milhares que explodiam nesse dia, como lembrança da minha razão ali e de que nada, no fundo, acontece por acaso, se o soubermos ver.
Ter tempo para o que me faz feliz.









Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...